Os termos “identificação de falantes” e “perícia de voz” se referem à tarefa de verificar se determinada voz/fala armazenadas em gravações de áudio e/ou vídeo são oriundas do aparelho fonador de um indivíduo.
Para realizar a coleta do material sonoro, a técnica de entrevista é utilizada e dividida em três etapas:

  1. Conversa com assuntos corriqueiros;
  2. Estimulação do falante para a produção de locuções já previamente selecionadas do material questionado;
  3. Repetição de palavras/frases com a mesma cadência, acentuação e entonação encontradas e separadas do material questionado.

Além destas, outras estratégias podem ser utilizadas, como: texto lido, fala induzida, atividades colaborativas (descrição de percurso, entre outros) e a conversa sobre assuntos triviais.
Alguns pontos devem ser levados em consideração para a escolha do método

  • Nem todos os réus/investigados sabem ler ou têm boa leitura;
  • Produção de vogal prolongada;
  • Repetição de palavras ou frases ditas no material questionado;
  • Somente a coleta da conversa espontânea.

Além da forma de coleta do material padrão, é muito importante a espontaneidade do réu/investigado, uma vez que muitos tentam forjar o resultado disfarçando a voz ou usando outros mecanismos que alterem o padrão normativo dela. Cabe ao entrevistador encontrar a melhor forma de obter o material padrão.